Viagem a Kyoto - dia 2: Arashiyama

terça-feira, março 19, 2013

Olá! Hoje visitaremos Arashiyama. Conhecemos esse lugar também no segundo dia, mas o último post ficou um pouco longo então preferi dividir a viagem. (as duas fotos abaixo foram retiradas do google)



Para nos deslocar com mais facilidade (e gastando menos) utilizamos o day-pass de ônibus que podia ser comprado em quase todas as lojas de conveniência de Kyoto. Cada passagem de ônibus poderia custar 220 ienes (dependendo da região ficava mais caro ou mais barato), mas usando o day-pass pagamos 500 ienes pelo cartão e pudemos subir e descer do ônibus quantas vezes quisessemos durante o dia, sem pagar nada mais. Quem algum dia visitar Kyoto deveria comprar um desses cartões. Foi o que fizemos, também recebemos um mapa mostrando a área na qual o Day-Pass era válido (a maior parte dos monumentos históricos está, obviamente, incluída), mas Arashiyama, infelizmente não estava. Ainda me pergunto o por que, já que Arashiyama é um dos locais mais bonitos, se não o mais bonito de Kyoto (na minha opinião).


O nome Arashiyama, técnicamente, se refere apenas às montanhas à margem do rio, mas é geralmente usado para nomear todo o distrito. Sagano (o nome que quase ninguém usa pelo visto) é um agradável distrito da região noroeste de Kyoto. O local é particularmente popular durante a primavera e também no outono, mas como nós chegamos quase no final do inverno fomos recebidas com muito vento, frio, chuva e também neve. Descemos do ônibus e já sentimos os primeiros flocos no rosto, mas a paisagem não foi nem um pouco decepcionante. A visão da ponte Togetsukyo (marco central de Arashiyama) meio enevoada sob a neve era linda! Ali encontram-se várias pequenas lojas, restaurantes e diversas outras atrações, inclusive o Jinpu Rockshaw Ride, o carro de passageiros de duas rodas puxado por um corredor (são bem comuns em cidades mais tradicionais).

O que torna Arashiyama um local tão bonito aos meus olhos é que naquela região a atmosfera torna-se menos moderna, e mais de interior, rústica, com diversos templos e casas antigas ao longo da base das montanhas cobertas de árvores. 

Templo Daikakuji:

A primeira parada na região foi o templo Daikakuji. O palácio foi originalmente construído no ano de 786, aproximadamente, como morada do Imperador Saga. 30 anos depois de sua morte sua filha obteve permissão para converter o palácio em templo, no ano de 876 e desde então tem sido um dos maiores templos de Budismo Shingon. Um dos tesouros mais importantes do templo é uma cópia do Sutra do Coração, que foi escrita à mão pelo Imperador Saga e supostamente pôs fim à praga misteriosa que estava varrendo o país durante o período Heian.

Daikakuji teve um papel importante em vários eventos históricos significativos. Uma sucessão de imperadores aposentados reinou dali; e após 50 anos de guerra civil o templo hospedou as negociações de paz, reunindo nomes importantes do Império. Sem contar que diversos filmes históricos são filmados em seus domínios.

Entrada do templo (estava muuuito frio)

 corredores rouxinol

A entrada custa 500 ienes e quando chegamos lá não havia praticamente ninguém. As edificações são interligadas por corredores de madeira, lembrando muito o piso rouxinol do castelo Ninomaru, pois também fazia bastante barulho quando pisávamos. As paredes também possuíam belas pinturas, os jardins que circundam o palácio, mais uma vez, sob a neve, eram magníficos!!


Jardins do templo Daikakuji
Não consigo dizer quanto tempo passamos dentro do templo, maravilhadas com a paisagem, tirando fotos e filmando. Só sei que quando estávamos saindo do palácio o portão principal estava fechado. Encontramos uma pequena porta na lateral e acabamos saindo pela saída de funcionários. Percebemos então que haviam fechado o templo mesmo enquanto ainda estávamos lá dentro! Me pergunto mais uma vez quantas horas ficamos perambulando pelo palácio!!





Floresta de Bambus:

A segunda parada em Arashiyama foi a Floresta de Bambus. Fazer o percurso que corta a floresta de bambus durante um dia ensolarado, ouvindo o estalo dos bambus com o vento em Arashiyama deve ser algo muito agradável, mas chegamos lá quando o céu já estava quase totalmente escuro. Os caminhos tortuosos no meio de todo aquele verde era realmente bonito, mas um pouco assustador e macabro. Algumas vezes era tão escuro que não conseguíamos tirar foto alguma.

Turistas estavam por toda parte, inclusive tiramos fotos com algumas pessoas que nem conhecíamos mas eram muito gentis e alegres. Passamos também, a caminho da floresta, por diversos outros templos, alguns grandes e outros menores, e também um cemitério, mas não entramos em nenhum pois estavam fechados (os templos normalmente já se encontram fechados depois das 5 da tarde).


  



Por hoje é só. Agradeço a todo mundo que tem acompanhado o blog e espero que estejam gostando do passeio!! A próxima parada será Osaka! Vejo vocês em breve ;D

You Might Also Like

4 comments

  1. OMG! Que lugar lindíssimo, até me arrepiei vendo as fotos. Se um dia eu for para o Japão, o que eu mais gostaria de conhecer seria essas cidades mais rústicas. Acho muito lindo toda aquela atmosfera japonesa tradicional. Lembra um pouco aqueles animes feudais que a gente tem costume de assistir e que são meus favoritos, em geral :3 É bem mágico.
    Sério, eu realmente estou amando seus post ♥ Aguardo ansiosamente pelos próximos.

    ResponderExcluir
  2. Enquanto a Carol descreve de uma forma mais "discovery" você relata de uma forma "daydreamer". Adoro ambas porque me dá sempre uma visão de um ângulo diferente dos lugares. Eu simplesmente AMO de mais a estadia de vocês ai. E não me canso de falar que fico feliz por você ter conseguido o tão sofrido intercâmbio. Go Go Paula!

    E suas notas, como andam?!

    xoxo,
    ringo

    ResponderExcluir
  3. paula, quais são os seguintes destinos dessa empreitada no país do sol nascente?

    ResponderExcluir
  4. O proximo post será sobre Osaka e Nara, desculpem pela demora com o post T_T

    ResponderExcluir

Subscribe