It's bitter like beer for kids

quarta-feira, março 21, 2012

Olá! Perceberam que o layout mudou? Passei as últimas semanas arrumando o código de pouco em pouco, hoje finalmente terminei. Andei bastante atarefada nas primeiras semanas de aula na faculdade, já estou com saudade das férias -s.Dessa vez não vou comentar sobre nada interessante que eu queira fazer no Japão não, apesar de não me faltarem idéias para isso, outras coisas andam preenchendo meu tempo e me dando um cado de preocupação.


Bem, devo admitir, primeiramente, que não sou uma pessoa "virona", ainda não sei me virar sozinha ou resolver boa parte dos meus problemas por conta própria. Nunca precisei disso, logo não tenho experiência com muita coisa. Mas esse semestre as coisas mudaram um pouco. Por causa do intercâmbio, minha formatura, que deveria ser no fim desse ano, será adiada por só deus sabe mais quantos semestres, sem contar na mudança de rotina que eu me impus para que consiga me formar o mais rápido possível quando eu voltar. Logo, peguei um número considerável de matérias na faculdade. Tenho em mente que não é nada impossível, desde que eu tenha uma rotina de estudo mais rigorosa e participe de todas as aulas. São muitos textos para ler, muitos resumos e resenhas para escrever, seminários para apresentar e ainda uma tese de conclusão de curso para produzir. Já na terceira semana senti o peso de todas essas coisas e infelizmente, olhando pra minha lista de afazeres, vejo que já tenho dois ou três textos acumulando.

Além de ter exagerado no número de matérias na faculdade, achei, por bem, arranjar um emprego; Consegui uma bolsa de treinamento profissional e trabalharei por 12 horas toda semana e receberei uma bolsa em determinado valor para desenvolver uma biblioteca virtual para os alunos. Tentei diversos outros projetos, mandei currículos, assinei diversos editais. Recebi um não atrás do outro, algumas vezes simplesmente não passei na prova prática ou fui mal na entrevista. Estive a ponto de desistir, até que finalmente fui chamada... É chato ter de reconhecer o meu medo, mas ele existe. Quando recebi o telefonema da orientadora e ouvi que eu passei fiquei feliz, mas algumas horas depois estava pedindo pra que não fosse comigo. Dá pra entender? Querer passar, e quando passa não querer mais? Durante a entrevista eu percebi que teria de usar ferramentas com as quais nunca lidei antes, e me fizeram a seguinte pergunta: "se te apresentarmos aos nossos métodos, você será capaz de assimilar?". Eu disse que sim, mas a insegurança de não conseguir dar conta de tudo foi aumentando cada vez mais.

Senti algo bem estranho; estava e estou passando por coisas que, pra mim, são novidade. Talvez vocês que leem o blog não tenham problemas com isso, já tiveram vários empregos e já tiveram que lidar com situações bem mais complexas do que essa simples bolsa de treinamento profissional. Mas essa correria e expectativa entre uma entrevista e outra, uma prova ali e outra lá me deixam desnorteada. Me sinto despreparada cada vez que recebo um não, e querendo ou não, não ter responsabilidade sobre nada é extremamente cômodo. Ao me deparar com uma Paula totalmente desestruturada, vulnerável e inexperiente, provavelmente me desesperei. Foi complicado perceber que não sou nem um pouco madura. 

Mas da mesma forma que me desesperei diante das minhas responsabilidades resolvi que ia dar minha cara à tapa e tentar tentar tentar até conseguir. Cedo ou tarde isso tem que acontecer não é? Não quero ser alguém que tem medo de encarar até as coisas mais simples por medo de errar. Inclusive, minha viagem para o Japão, que até agora continua de pé, depende dessa minha mudança de postura; Se não consigo enfrentar nada nem ninguém aqui, imagina do outro lado do mundo, sem ajuda e sem meus pais? Como me preocupo demais com o julgamento alheio vou simplesmente fazer o que acho melhor, da melhor maneira possível e se não der certo vou colocar meus fones de ouvido e escutar uma música no maior volume possível, e por fim tentar outra vez!


You Might Also Like

5 comments

  1. Não é só você que se sente assim, eu também. Entrar na faculdade fez uma mudança drástica em mim, pois deixei o carro dos meus pais e agora tenho que atravessar São Paulo sozinha. Não só isso como tem várias coisas que estou fazendo pela primeira vez e sinto-me perdida. Nunca tive um emprego, mas fico insegura pensando nisso. Tenho medo de me pedirem algo e eu não saber fazer ou fazer errado, sei lá. De qualquer forma a gente só aprende fazendo e errando, não é mesmo? Se der certo, ainda bem! Se não der, você pode tentar de novo. Mas torço para que consiga!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Adorei o novo Layout. Só tira esse auto-play mulher, quase caí da cadeira ( apesar de amar essa música <3 Bonnie é amor )

    Não se deixe abater fofa, estarei aqui do outro lado te enviando energias positivas. Fight!!

    ResponderExcluir
  4. obrigada gente =D É bom ler os comentários de vocês ^^ Eu tbm levo susto com o meu proprio auto-play =/

    ResponderExcluir
  5. Meu TCC tinha a ver com mangá tb... na verdade pesquisei história em quadrinhos como um todo e depois me aprofundei um pouco mais em mangá, devido ao meu traço ter grande influência japonesa!!! ^^
    Se precisar de ajuda, pode falar, ok?
    Posso te passar alguns nomes de livros que usei na pesquisa! =D
    Bjinhus e boa sorte!!! =***

    ResponderExcluir

Subscribe