Horror Oriental

by - quinta-feira, julho 28, 2011

Como é sabido sou fã de filmes de terror/horror, inclusive (ok, quase que sempre) orientais. Há quem goste... Há quem odeie também, mas as diferenças entre os filmes de horror orientais pros ocidentais, especialmente americanos, é bem perceptível.



O que eu percebo ao assistir filmes ocidentais é, normalmente, excesso de sangue e violência gratuita e explícita em tempo quase integral. Wolf Creek (deus me livre e guarde), O Albergue ou Jogos Mortais refletem bem o estilo de filme no qual o mal/mau está encarnado num estranho ou estrangeiro. Mutilação e tortura é algo crucial nesses filmes. Já em outros como Pânico, Sexta Feira 13 ou Nightmare on Elm Street somos apresentados a um bando de jovens que vão sendo dizimados um por um. Você pode perceber uma característica em comum entre eles, bem interessante, e não se trata de garotas adolescentes usando saias curtas. Os primeiros que morrem são aqueles que se drogam, fazem sexo casual, enfim, são os mais rebeldes. Os que sobram, ou os últimos a morrer pelo menos, são os bons filhos, a menos puta ou o menos playboy do grupo. São algumas características que refletem também um pouco da sociedade na qual são produzidos esses filmes. Mas não me levem a mal, posso não curtir tortura, mas, apesar de não parecer (depois do que escrevi nesse parágrafo) sou uma grande fã do Freddy e também do Jason.

Também é um erro achar que filmes ocidentais de horror são todos ruins. Até porque os que eu citei acima (tirando talvez, wolf creek :'D) são filmes que atendem bem ao propósito para o qual foram feitos. Só não é a minha melhor opção. Låt den rätte komma in (Let the right one in) é um excelente filme, sueco, que inclusive ganhará (ou já ganhou) uma refilmagem americana (seja o que deus quiser). O Orfanato, que é espanhol também é outro filme incrível. Outros que misturam fantasia e terror muito me agradam, e Tim Burton está entre eles com A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça.

Mas voltando a falar sobre os filmes orientais. Esses são especiais, um tanto diferentes pra nós que já estamos dentro da indústria norte-americana de cinema desde que nos entendemos por gente. Acho que tudo começa com uma questão cultural. No Japão, pelo menos, a ligação que todos tem com a morte é bem interessante, e marcante. Aqui discutimos quem acredita ou não em fantasmas, lá eles se dividem em quem vê e quem não vê. Então a crença em espíritos, seja legado da religião ou do passado desse povo, é algo comum. Logo a maior parte dos filmes, partem de uma lenda urbana ou crença da população, coisa que aqui não afeta tanto quanto lá. 

O que vemos em filmes coreanos, japoneses, tailandeses ou chineses é uma preocupação maior em construir histórias mais complexas e bem estruturadas. Não seguem regras, são imprevisíveis, e a lógica pode ser colocada a prova a qualquer momento. Enquanto o cinema norte-americano procura ser o mais direto, auto-explicativo possível, o horror oriental segue a mão contrária do caminho. O público ocidental também está acostumado a ver a oposição entre bem e mal, um confronto direto entre eles, sendo que um lado está fadado a acabar com o outro. O cinema oriental propõe uma relação diferente entre as duas; Muitas vezes não fica claro o que é bom e o que mau. Outras vezes se misturam. Não há como destruí-lo, no máximo contorná-lo.

Outro ponto importante, e essa será a consideração final do meu post, o que se percebe é que o cinema ocidental, majoritariamente norte-americano, se concentra na tensão que a imagem causa, portanto é comum vermos matança do início ao fim, e pouco da história. E Audition, filme de Takeshi Miike é um bom exemplo pra explicar o que quero dizer. Pra mim foi extremamente violento e eu diria que é pra quem tem estômago forte. As cenas de tortura ao final são realmente repulsivas. Mas o que é mais interessante na obra é que essas cenas aconteceram no momento certo e não se tornaram o centro da história, como ocorre em vários filmes. Antes de nos depararmos com a violência em si assistimos com receio o desenrolar dos fatos, levados até o último grau de apreensão até os momentos finais do filme. Vale lembrar também que esse é um dos filmes que mostram que o terror oriental não feito só de assombrações, já que esse não possui nenhum, e é impecável.

Tenho que admitir que não vi tantos filmes orientais quanto queria. Uma pena, também, não ter acesso maior a eles da maneira politicamente correta (alugando ou comprando). Mas aqui vai uma listinha singela dos últimos filmes que assisti e gostei :3 Lembrando que essas são as minhas opiniões mescladas com algumas pesquisas que andei fazendo por aí. Espero que tenham gostado 

Shutter - Espíritos

Ju-On - O grito

Audition

A Tale of Two Sisters - Medo

Suicide Club - O Pacto (cuidado com esse)

Red Shoes

alguns sites/ blogs de referência:
Amálgama
Sintoma Cinema
Gore Boulevard

Ah, como nem tudo são rosas aí vai uma dica do que não baixar/alugar: Sick Nurses, que se não me engano é tailandês.

You May Also Like

4 comments

  1. Gostei muito de seu post, é assim como você diz: ao mesmo tempo que o cinema ocidental prefere um filme auto-explicativo eles exageram na matança. Uma comparação bem fácil: Samara e Sadako, a face das vítimas da Samara podem até assustar mas é muito estranho, já a Sadako é apenas uma expressão de horror sem frescura.
    Eu acredito que os filmes de horror orientais não forçam para assustar e realmente gosto dessa ideia de "os rebeldes morrem primeiro" porque de um jeito ou de outro sempre quem lota o rabo de drogas vai acabar morrendo antes (desculpe a expressão, é minha antiga professora de português que fala assim haha).

    Ah, que isso, assiste Ichi Rittoru no Namida, sim! Mesmo sendo triste de mais a gente fica mais motivado com a luta da Aya.

    ResponderExcluir
  2. Já vi sim, estou pensando em baixar de novo e assistir *-*
    Pena que a Anna não canta nesse filme >.<

    ResponderExcluir
  3. Paula!!!
    Tipo...eu não gosto mto de filme de terror...
    Fico impressionada fácil!!!(bem criancinha mesmo!!)
    Bjuss

    ResponderExcluir
  4. ADOREI sua postagem,falou de uma coisa que eu gosto e eu concordo com vc.Os filmes de terros orientais são melhores ja vi uns muito tenso :s.
    Esse Suicide Club eu vi ele em 2007 é bem estranho mas não gostei muito pq achei meio tosquinho.Mas o meu preferido é o Grito ,esse eu morro de medo mas eu gosto ,vai entender né.Espíritos tbm é um dos meus preferidos,o final dele me deu até calafrio na primeira vez. Tem bom tbm que eu não lembro o nome inteiro mas tem isso no nome> "6:66".Meu esse é legal se quizer ti passo o link ^^
    nhaaa ja falei demais né :s gomen <3
    Kissu

    ResponderExcluir